Os Medos

O primeiro passo para o controlo de um medo, é sabermos identificá-lo. Conheça os seus medos .Antes de ler o que se segue, lembre-se: alguns medos estão escondidos no nosso subconsciente e por isso é difícil localizá-los e consequentemente eliminá-los.

Segundo Hill (2018)* existem 6 medos básicos:
1) Medo da Pobreza
2) Medo das Críticas
3) Medo da Doença
4) Medo da Perda do Amor de alguém
5) Medo da Velhice
6) Medo da Morte

Os medos acabam por ser o seu estado de espirito, e o seu estado de espirito está sujeito ao seu controlo. Eu sei, é mais difícil do que a frase quer fazer crer. De qualquer forma, o primeiro passo para o controlo de um medo, é sabermos identificá-lo. Alguns “sintomas” podem ajudar-nos a identificar certos medos: falta de ambição; indecisão; dúvida; preocupação excessiva; procrastinação; inibição; sentimento de inferioridade; hipocondria; auto-comiseração; ciúme; falta de entusiasmo; insegurança; ansiedade, são alguns exemplos.
Estes medos não estão relacionados com um perigo imediato, concreto e real, mas é o medo de algo que pode (ou não) vir a acontecer. Não está a acontecer agora. Você está no presente, enquanto a sua mente está no futuro, isso cria um hiato de ansiedade.

Exercício 
Conheça os seus medos
Feche os olhos, respire fundo por uns momentos e relaxe. Consegue identificar algum destes medos em si? Reflita e escreva sobre isso. Anote todas as dúvidas que tenha. Se for preciso, volte a essa reflexão em dias diferentes e tente clarificar o que tem
escrito. Vá, sem pressa, arrumando as suas ideias. Experimente responder a algumas das seguintes questões:
a) Tem por hábito deixar as coisas para “amanhã”?
b) Desvaloriza o sucesso dos outros?
c) É ciumento?
d) Costuma sentir pena de si próprio?
e) Expressa-se geralmente sem controlo da voz, com nervosismo na presença de outros?
f) Tem dificuldade em tomar decisões?
g) Sente necessidade de demonstrar “mais que o que tem”?
h) É ambicioso?
Se respondeu “sim” a algumas questões, tente responder agora “porquê”.


*Hill, N. (2018). Pense e fique rico. Lua de Papel

 

Carolina Trindade, Psicóloga clínica

« voltar