Mindfulness é meditação. Certo?

Mindfulness é meditação. Certo?

De facto é algo que muitas pessoas assumem, mas que não é inteiramente verdade. Mindfulness significa “atenção plena” e pode ser muito mais do que apenas meditação.

Algumas das justificações que se ouvem muitas vezes para se justificar o facto de não meditar são “não consigo parar de pensar” ou “não consigo estar quieta/o”.

De facto, pode-se dizer, e com toda a razão, que nem todos os tipos de meditação têm como objectivo fazer com que a nossa mente pare de pensar e no caso do mindfulness, o objectivo é focarmos a nossa atenção em algo (na nossa respiração, no nosso corpo, num som, etc.) e voltar a trazer a atenção para esse algo sempre que a nossa mente se desviar.

Por outro lado, sempre que alguém disser que não consegue estar quieto, pode-se sugerir uma forma de ser mindfulness que não exija “estar quieto” e que possa ser aplicada em qualquer altura, em qualquer lugar e, em alguns casos, em poucos minutos.

Por hoje deixo uma minha sugestão de ser mindful sem meditar.

   
Sair para Fazer uma Caminhada
 
A maior parte das pessoas associa a meditação à posição sentada mas, na verdade, os ensinamentos tradicionais budistas identificam quatro posturas de meditação: sentada, deitada, em pé ou a caminhar. Todas elas são válidas para cultivar uma mente calma e atenta ao momento presente.

É ainda muito comum, nos retiros de mindfulness, fazerem-se caminhadas meditativas, ou caminhadas em atenção plena.

Para além de ser um excelente exercício físico, caminhar permite-nos mudar de ambiente, deixar para trás o trabalho, a casa e as tarefas a ela associadas e, caso queira, até mesmo as preocupações.

Idealmente, deixamos também o telemóvel de parte por uns instantes e permanecemos apenas connosco e com os nossos pensamentos. Muitas vezes, boas ideias surgem nestes momentos. Se isso acontecer, não se esqueça de tomar nota assim que chegar a casa, ou a probabilidade de a esquecer será elevada. ;)

  
Até breve ♥

 

Vera Costa

« voltar